|6 Nov 2019| Fomos ao teatro!

Os alunos dos 9º anos do Ensino Fundamental e os alunos do Ensino Médio acompanhados por seus professores assistiram à apresentação do a peça: Angústia.

O romance Angústia foi publicano no ano de 1936, época em que o escritor fora preso pelo governo Vargas, e é considerado um dos romances mais ricos que da literatura brasileira. O livro ganhou o prêmio “Lima Barreto”, pela Revista Acadêmica, e contribuiu de maneira eficaz para fazer do seu autor um dos maiores escritores da literatura brasileira.

Tendo forte influência do contexto histórico da época, a história é dotada de diversas simbologias que fazem referência à situação social, ao sistema político, e, ao mesmo tempo, discute a existência humana, as relações sociais, o psicológico, etc. Além disso, pode ser considerado o que chamamos de romance metalinguístico.

A obra revela a crise que foi resultado da mudança de sistema político na época, o que se pode perceber através das mudanças entre as gerações da família de Trajano, um poderoso senhor de terra. Elas passam pela vida de seu filho Camilo e terminam em Luís da Silva, o protagonista e narrador da história.

O conflito da história acontece quando Julião Tavares rouba de Luís da Silva o amor de Marina. A partir deste triângulo amoroso, várias discussões são levantadas, como a representação da metamorfose, ou seja, da mudança de sistema, representada pela mudança de Marina; a opressão realizada por Julião Tavares, rico e poderoso, sobre a moça pobre, conquistando-a por causa de seu dinheiro, dentre outras temáticas típicas da literatura de Graciliano Ramos.

PERSONAGENS

Luís da Silva: apesar de oprimido, mostra-se inconformado, de caráter rude, amargo e decepcionado com o meio em que vive. A preocupação dele com a justiça social acaba sendo causada mais sua inconformidade com sua própria vida do que com a dos outros.

Marina: esteriótipos  das mulheres da época, tão bem retratadas por outros autores, tem certa futilidade devido às leituras que fazia. Personagem comparada por alguns críticos a Luísa, do romance O Primo Basílio, de Eça de Queiroz. De personalidade fraca, deixa-se levar pelas situações e pelos interesses. E mais tida como alvo, prêmio ou posse de Julião e de Luís do que como mulher.

Julião Tavares: por sua vez, possui linguajar rebuscado, com certo formalismo exagerado, como que para expressar a classe social à qual pertencia. Além disso se mostrava um patriota vazio, ou seja, sem ideais políticos. Esse personagem é também comparada a um dos personagens de O Primo Basílio: o Conselheiro Acácio.

De linguagem econômica e ao mesmo tempo objetiva, utilizando comparações e simbologias, Angústia é um típico exemplo de literatura engajada, recheada de críticas sociais, além de ser um típico romance regionalista.

Assistir à apresentação, revelou-se um momento muito importante no processo de ensino de nossos alunos, pois, através da arte, desfrutando da riqueza da literatura brasileira, puderam adquirir novos conhecimentos.

Agradecemos ao diretor de teatro, Valdir Von Dentz, que fez adaptação da obra, aos pais que nos apoiaram nesse evento, aos professores e funcionários que acompanharam os alunos e em especial, ao professor Sandro (literatura) que fez uma brilhante explicação da obra ao final do espetáculo e aos nossos alunos que aproveitaram esse momento para abrir novas janelas em seu aprendizado.

 

.