Fund. Pedagógico

O Padre Vigne, ao fundar a Congregação Sacramentina, traçou a linha de ação pedagógica, que é, para as Irmãs Sacramentinas, o meio mais eficaz de oferecer aos alunos competência acadêmica e educação integral. A dimensão cristã, que é dada à educação ministrada nas Escolas Sacramentinas, ilumina o conteúdo dos programas e estimula o aluno a construir a sua vida segundo os valores do Evangelho.

Convidados a criar um ambiente de amizade nas relações educando-educador, ambos realizam o AMOR como prática fundamental do processo educacional, e este é o instrumento mais perfeito da realização humana. É a tônica da formação Sacramentina.

Esse amor fundamenta o nosso compromisso com uma educação de qualidade, amparada na Tendência Progressista de Educação na qual:

eucaristia-2

  • O CONTEÚDO: é um meio para o desenvolvimento de competências;
  • O CONHECIMENTO: é contextualizado e socialmente construido;
  • O CURRÍCULO: é dinâmico, criativo, crítico e atual;
  • A SALA DE AULA: é local de reflexão e de situações de aprendizagem;
  • AS ATIVIDADES: são qualitativas e não quantitativas;
  • O PROFESSOR: é mediador do conhecimento, uma autoridade;
  • O ALUNO: é autônomo, ativo, aprende e aprender;
  • A AVALIAÇÃO: é contínua, formativa e avalia competências adquiridas.

O Colégio São Carlos, com o intuito de oferecer a seus alunos um acesso rápido às novas formas de aprendizagem e às tecnologias modernas, disponibiliza o “NAV – Núcleo de Aprendizagem Virtual” com recursos de informática que poderão ser utilizados a qualquer hora.

Embora o Colégio São Carlos esteja aberto às novas tecnologias, continua considerando primordiais o papel e a importância do professor em sala de aula. Como mediador dos saberes, é ele quem faz a síntese entre os conhecimentos prévios dos alunos, os conteúdos programáticos previstos para cada faixa etária e as informações que estão por toda parte (televisão, internet, bibliotecas, etc…)

O aluno que queremos é aquele que procura compreender o mundo que o rodeia e procura resolver as questões que esse mundo lhe coloca. É um sujeito que não espera que o conhecimento chegue pronto, mas sim, aprende através das próprias ações sobre os objetos do mundo.

Os conteúdos devem ter relevância social, propiciando conhecimentos básicos essenciais para qualquer cidadão, estando articulados entre si e conectados com outras áreas do conhecimento.